‘Aceitei casar com alguém que não existia’: os relatos de brasileiros enganados por fakes

Aliança enviada pela estelionatária para pedir a Luana em casamentoConcomitantemente com outros textos, a matéria a seguir, produzida pela BBC Brasil, eu decidi dividir em partes, porque na correria do dia-a-dia de hoje, ninguém tem tempo para ler uma matéria tão extensa.

Chamo atenção para a atualidade do tema, pois, trata-se do envolvimento de pessoas pelas redes sociais. Muitas vezes dá certo, pode terminar num bom casamento, mas, cada vez mais, ouvem-se histórias de pessoas sendo enganadas.

Dependendo de um caso para outro, uma vida pode ser destruída, pois, quem engana nesses relacionamentos, cria uma expectativa de felicidade que nunca vai se concretizar.

Primeira parte

Desde a primeira vez em que conversou com um rapaz que dizia se chamar Álvaro, a enfermeira Luana*, de 30 anos, se encantou pelo homem.

Eles se conheceram em um aplicativo de relacionamentos, no início de janeiro deste ano. Em menos de dois dias, passaram a se considerar namorados, mesmo sem nunca terem se encontrado pessoalmente.

Luana conta que se apaixonou por Álvaro por considerá-lo um homem carinhoso, bonito e bem-sucedido. Ele dizia que era defensor público recém-concursado, que havia nascido no Rio Grande do Sul e tinha se mudado havia poucas semanas para Macapá (AP), onde a mulher mora.

“Eu acreditava em tudo o que ele me dizia. Não procurei informações sobre ele, porque estava muito encantada com as atitudes dele comigo”, relata Luana à BBC News Brasil.

Em uma semana de conversa, ela recebeu flores e declarações de amor por meio do WhatsApp. Em outro momento, a enfermeira emprestou R$ 600 para Álvaro, pois ele disse que precisava do valor com urgência.

Dias depois, ela foi pedida em casamento pelo homem. Mesmo sem nunca tê-lo visto, pois ele costumava usar diferentes desculpas para não encontrá-la, a enfermeira aceitou.

O homem perfeito, aos olhos de Luana, nunca existiu. Álvaro era um fake, expressão utilizada para denominar perfis falsos na internet.

A história acabou na polícia. Uma jovem de 24 anos era a responsável pelo perfil. As investigações apontaram que a suspeita enganou outras dezenas de mulheres de Macapá.

Na internet, é comum encontrar relatos de homens e mulheres que foram enganados por perfis falsos. Algumas histórias viraram casos de polícia. Outras, apenas deixaram marcas na vida de quem se envolveu em um relacionamento com alguém que nunca existiu.

A psicóloga Ana Sandra Fernandes explica que há pessoas que se envolvem com perfis virtuais, sem questionar se aquela pessoa realmente existe, por idealizar um relacionamento perfeito. “Vivemos uma cultura muito influenciada por contos de fadas. Isso influencia muitos relacionamentos, porque muitas pessoas procuram viver algo perfeito.”

“Nos relacionamentos reais, você se envolve com pessoas que têm defeitos. Em relações virtuais, as pessoas podem fantasiar uma perfeição, sem transparecer os problemas. Por isso, em muitos casos, a pessoa está tão imersa naquele suposto conto de fadas que não percebe muitas incoerências na história daquele perfil falso. A vítima acaba aceitando que aquilo é real e embarca naquela história”, explica Fernandes.

Publicado por

Vida Nossa

Gosto de abordar assuntos sobre a família, em meus artigos e nas conversas, mas, aqui vamos tratar de comportamentos de um modo geral.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s